quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

A HOMOFOBIA DO NUNINHO E CASAMENTO NA HUNGRIA

Deus, Pátria e Rei

Uma pérola do nosso querido pseudo-fadista armado em marialva:

«A instituição de um dia de luta contra a homofobia, entendida, de um modo genérico, como o medo irracional ou preconceito em relação à homossexualidade, seria, de alguma forma, atentar contra a liberdade de opinião. Ao instituir-se um dia mundial de luta contra a homofobia estar-se-ia, no fundo, a instituir um dia contra todos aqueles que pensam a sexualidade de modo distinto e, consequentemente, a colocá-los numa situação de discriminação.»

Parece que ser contra a homofobia é atentar contra a liberdade de expressão.
Que mais vão eles inventar.
São estas as idéias de um partideco sem expressão entre os portugueses e que só tem representação parlamentar graças a S. Santana Lopes.



Apesar da petição pela criação de um dia de luto contra a homofobia ter sido rejeitada há boas notícias, lá fora claro:
A Hungria aprovou no passado dia 17 de dezembro a lei que permite que pessoas do mesmo sexo possam contrair casamento, a República Checa e a Eslovénia também estão na calha.
Por cá, a Teresa e a Helena têm que voar até Espanha para poder casar.

5 comentários:

pinguim disse...

Desse senhor (?) tudo é de esperar...nem vale a pena gastar tempo.
Entretanto boas notícias sopram de leste...

gitas disse...

Esse senhor é um perú.lololol.
De resto por lá tudo bem e por cá o que esperavam?
O caso só foi mediatizado, mais nada!
Beijos

Sniqper ® disse...

Meu Amigo,

Se pessoas podemos chamar a certas pessoas, existem outras que nem classificação eu encontro, tais já foram as coisas que ouvi sair pelas suas fantásticas bocas, imagens de programas de televisão, reportagens em revistas, que muito sinceramente te digo...
Ignorar a existência de certas pessoas e actos já é uma prova de boa educação, mas por outro lado escrever sobre eles ainda é melhor, sempre faz abanar a mente dos esquecidos ou dos tais que dizem mal mas davam o dito cujo e 5 cêntimos para andarem na companhia deles, enfim é o que temos, mas também só levamos porque queremos, por mim com essa gente é simples.../ignore

Paulo disse...

Special K, estou com o Pinguim: nem vale a pena perder tempo com gente assim. Fica a satisfação (?) de virem de Leste boas notícias. Por cá continuará a moralzinha-mete-nojo. Melhores dias virão, espero(amos) nós.
Um abraço

André Benjamim disse...

subscrevo as palavras do quatro: ignorar, que gente assim não merece um segundo do nosso tempo. abraço