domingo, 30 de setembro de 2007

PLAY IT SAM...


Aproveitando esta onda cinéfila eis um dos filmes da minha vida.

A canção e o filme são intemporais. Também o rosto deslumbrante de Ingrid Bergman e o charme incomparável de Humphrey Bogart.
Está bem, eu admito... Tenho um certo fetiche pelo Bogart. Que é que eu posso fazer...

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

MALA NOCHE / MYSTERIOUS SKIN


Ainda durante a semana do Queer Lisboa vi estes dois filmes de uma assentada. Tudo numa tarde entre o King e o Nimas, à noite ainda houve mais cinema no S. Jorge. É assim quando se ama a sétima arte.

MALA NOCHE

Gus Van sant já se tornou um cineasta famoso, por isso é dificil de compreender como este filme tardou 22 anos a estrear em Portugal. "Mala Noche" foi a primeira obra do realizador americano que precisou de trabalhar dois anos numa agência de públicidade para a poder financiar. O filme foi rodado em 16mm a preto e branco e é uma adaptação de um romance semi-biográfico de Walt Curtis.

Walt trabalha numa loja de bebidas em Portland. Um dia conhece, Johnny um adolescente mexicano, imigrante clandestino que tem tanto de belo como de misterioso e por quem, Walt, se apaixona loucamente. Johnny recusa sistematicamente as aproximações do "puto" americano* o que só faz crescer ainda mais a sua obsessão pelo rapaz. Ao tentar manter-se próximo do mexicano acaba por se envolver sexualmente com Pepper, o melhor amigo de Johnny.
Um dia Johnny desaparece misteriosamente e Walt vê-se obrigado a acolher Pepe que fica gravemente doente...

* "Puto" no calão mexicano significa "maricas" ou "paneleiro"

Em "Mala Noche" o ambiente quase artesanal e a fotografia a preto e branco dão um encanto especial ao filme. Ao mesmo tempo também ajudam a acentuar o ambiente escuro, sujo e opressivo da cidade.

Site Oficial: Mala Noche
Realização: Gus Van Sant.
Com: Doug Cooeyate, Tim Streeter, Nyla McCarthy e Ray Monge
EUA, 1985
78 min
TRAILER
Em exibição no cinema Nimas.



MYSTERIOUS SKIN

Two boys. One can't remember. The other can't forget.

"Mysterious Skin" explora o drama de dois jovens abusados sexualmente em crianças pelo seu treinador de baseball.
Neil sempre teve consciência da sua homossexualidade. Aos 8 anos a mãe inscreve-o na equipa de baseball. Quando conhece o treinador, o fascínio é mutuo. Neil rápidamente se torna o melhor jogador da equipa, e não demora muito tempo para começar a frequentar a casa do treinador.

Por outro lado Brian, para desgosto do pai é o pior jogador da equipa. Uma noite acorda em casa com o nariz a sangrar. A sua mente recusa-se a recordar e começa a molhar a cama e a ter terríveis pesadelos.
Agora com 18 anos, Brian acredita que foi raptado por extraterrestres. Em busca de uma explicação parte à procura de Neil pois acredita que este tem a chave para resolver o mistério da sua vida.

Aos 18 anos, Neil vive com a mãe e passa a vida com Wendy e Eric, os seus melhores amigos. Ao mesmo tempo vai fazendo uns engates com homens da terra para conseguir ganhar algum dinheiro.
Joseph Gordon-Levitt é Neil McCormick e na minha opinião tem uma interpretação fabulosa neste filme. Concerteza se lembram deste jovem actor da série "O Terceiro Calhau a Contar do Sol".

Greg Araki, realizou este filme baseado num romance de Scott Heim. Simplesmente adorei este filme, concerteza uma das melhores obras estreadas este ano nas salas portuguesas.

Realização: Gregg Araki
Com: Joseph Gordon-Levitt,Brady Corbet, Michelle Trachtenberg, Elisabeth Shue, Mary Lynn Rajskub, Chase Ellison, Lisa Long, Bill Sage, George Webster, Jeff Licon, Billy Drago, Richard Riehle
EUA/Holanda, 2004
99 min.
TRAILER
Em exibição no cinema King

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

THE POWER OF LOVE


I'll protect you from the hooded claw
Keep the vampires from your door

Feels like fire
I'm so in love with you
Dreams are like angels
They keep bad at bay-bad at bay
Love is the light
Scaring darkness away-yeah

I'm so in love with you
Purge the soul
Make love your goal

The power of love
A force from above
Cleaning my soul
Flame on burn desire
Love with tongues of fire
Purge the soul
Make love your goal

I'll protect you from the hooded claw
Keep the vampires from your door
When the chips are down I'll be around
With my undying, death-defying
Love for you

Envy will hurt itself
Let yourself be beautiful
Sparkling love, flowers
And pearls and pretty girls
Love is like an energy
Rushin' rushin' inside of me



This time we go sublime
Lovers entwine-divine divine
Love is danger, love is pleasure
Love is pure-the only treasure

I'm so in love with you
Purge the soul
Make love your goal

The power of love
A force from above
Cleaning my soul
The power of love
A force from above
A sky-scraping dove

Flame on burn desire
Love with tongues of fire
Purge the soul
Make love your goal

I'll protect you from the hooded claw
Keep the vampires from your door

Frankie Goes To Hollywood

terça-feira, 25 de setembro de 2007

IRÃO LIVRE DE "VIADAGEM"


Gay924tm
Colocado por luvnews

Eu sou uma pessoa pacífica mas confesso que há gente que não merece mesmo estar neste mundo.
Mahmoud Ahmadinejad, o polémico presidente Iraniano, esteve em Nova Iorque para participar na Assembleia geral da ONU. Durante uma conferência, quando questionado sobre os homossexuais executados no seu país, limitou-se a responder: "Esse fenómeno não existe no Irão". Toda a sala riu perante tamanha afirmação no entanto o caso é preocupante, se não há homossexuais no Irão então é porque já foram todos executados.

TIMEOUT

A TimeOut Lisboa sai já amanhã. Os outdoors já andam espalhados por aí e estão muito bons. A Time Out é uma espécie de roteiro cultural que já existe em algumas das mais famosas cidades do mundo, a partir de amanhã chega também a Lisboa.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

MARCEL MARCEAU


Marcel Marceau (1923-2007)
Porque foi do silêncio que fez a sua arte, é sem mais palavras o vou homenagear

domingo, 23 de setembro de 2007

LOVE HURTS

Outro dos motivos de interesse deste Queer Lisboa foi a apresentação de dois spots contra a homofobia. Estes sopts foram feitos no ambito de uma campanha alemã contra a homofobia.
Um dos Spots era este "Love Hurts", um autêntico murro no estômago contra a homofobia.

AINDA O QUEER LISBOA


SOLANGE DU HIER BIST do alemão Stefan Westerwelle foi o grande vencedor do Queer Lisboa deste ano. Não era o meu filme preferido mas julgo que o prémio foi mais que merecido.

"Solange" é um filme triste mas muito belo sobre um idoso que no desepero da solidão se apaixona por Sebastian, um jovem e belíssimo prostituto. Georg vai-se entretendo com as histórias mirabolantes do rapaz, apesar de duvidar da sua veracidade, o idoso vai-se encantando cada vez mais com estas histórias.
Um dia a esperança acende o coração de George quando Sebastian, em vésperas do seu aniversário, pede para ficar lá em casa.



"Estrellas de la Línea" de Chema Rodríguez foi eleito o Melhor Documentário do festival. Apesar de não ser um filme de temática GLBT, parece ser um documentário bastante interessante sobre um grupo de prostitutas da Guatemala que, para chamar a atenção para os seus problemas, resolvem criar uma equipa de futebol feminino.

O Prémio do Público para a Melhor Curta-metragem foi para o filme "Singularidades" do brasileiro Luciano Coelho.

Foi ainda atribuido pelo juri uma menção especial para a actriz brasileira Carla Ribas pela sua notável interpretação no filme "A Casa de Alice" do realizador Chico Teixeira.

Por fim não podia deixar de mencionar o meu filme preferido de todo o festival:
"The Blossoming of Maximo Oliveros" de Aureaus Solito. Um filme filipino, que passou fora de competição.

Maxi Oliveros é um garoto de 12 anos, efeminado, que vive num bairro de lata de Manila com a sua família constituida pelo pai e dois irmãos. Enquanto o pai e os irmãos se dedicam a várias actividades ilícitas, o jovem Maxi, fica por casa tratando das tarefas domésticas, a que se dedica com bastante devoção e competencia.

Um dia aparece um novo polícia no bairro que desenvolve uma grande amizade com o pequeno. Para Maxi, a amizade cedo se transforma numa forte paixão. Na sua inocência, o pequeno não percebe que o seu amor por um polícia vai pôr em risco a sua própria família.
"The Blossoming of Maximo Oliveros" é um tocante filme sobre uma criança à descoberta do amor.

Na minha apreciação final, o 11º Queer lisboa foi bem positivo. Falhei alguns filmes que gostaria de ter visto como "Bubble" de Eytan Fox ou Keillers Park de Susanna Edwards, não vi os documentários e apenas assisti a uma sessão de curtas, bem fraquinha devo dizer. Mas era era impossível ver tudo, ainda assim foi uma semana cheia de noitadas, com o trabalho à espera na manhã seguinte.

Já agora acabo com uma pequena bichísse: No último dia do festival andava por ali o realizador e actor Lionel Baier, enquanto o seu filme, "Comme des Vouleurs", era projectado na sala ao lado. Pude comprovar ao vivo a idéia com que fiquei no filme; parece que o rapazito até que nem é mau de todo ;)

Bem para o ano há mais e já aí está á porta a Oitava Mostra do cinema Francês. Realmente não há descanso para um pobre cinéfilo.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

QUEER LISBOA

COMME DES VOULEURS

Lionel e a sua irmã Lucie são dois jovens suiços filhos de um pastor anglicano. Lionel parece viver feliz, tem um emprego numa rádio e vive num apartamento com Serge, o seu namorado. No entanto sente que algo falta na sua vida. Um dia resolve começar a explorar as suas origens polacas.

Lucie tem o seu namorado, mas também se ressente pela falta de aventura na sua vida.

Quando Lionel abandona o namorado para casar com uma jovem polaca, que vive em situação ilegal. Ela explode, e num impulso, larga tudo e parte estrada fora com o irmão rumo à Polónia em busca das suas raízes.

Mas o caminho é longo e muitas aventuras os esperam.


Realização: Lionel Baier
Actores: Lionel Baier, Natasha Koutchoumov, Bernabé Rico, Alicja Bachleda-Curús, Michał Rudnicki e Stéphane Rentznik
Suiça, 2006

Site Oficial


Ficha Técnica e entrevista com o realizador Lionel Baier


GLUE

Uma doce viagem pela adolescência.

A acção de "Glue" desenrola-se em plena Patagónia, na Argentina durante os anos oitenta. Lucas tem 15 anos, a alienação familiar leva-o a passar o tempo com o seu amigo Nacho e com a jovem Andrea. Os três jovens vivem as angústias e ansiedades próprias da adolescência. E assim vai crscendo uma forte relação e uma enorme tensão erótica entre os três que explode numa noite de festa.


Há uma parte em que Lucas perdido nos seus pensamentos se pergunta: "Qual a diferença entre beijar um homem e uma mulher? A diferença é que os homens têm barba."


Pensei quantas vezes me perguntei o mesmo quando era miudo, numa altura em que me sentia completamente baralhado quanto aos meus sentimentos.
Realização: Alexis dos Santos
Actores: Nahuel Pérez Biscayart (Lucas), Nahuel Viale e Inês Efron.
Reino Unido, Argentina, 2006

Ficha técnica

terça-feira, 18 de setembro de 2007

EPÁ!!!


Uma mulher de armas. Destas é que eu gosto...
Visto no Renas e Veados

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

GIVE ME A REASON


Give me a reason to love you
Give me a reason to be...

Foto: Deviant Art

sábado, 15 de setembro de 2007

CALLAS


Maria Callas (2 de dezembro de 1923 — 16 de setembro de 1977)

No dia em que se assinalam os 30 anos da sua morte, deixo aqui a minha pequena homenagem à mais bela voz do Século XX.
"Casta Diva" é uma ária da famosa ópera "Norma" de Bellini. Eu que não sou um grande entendido em ópera, considero-a a mais bela ária jamais composta para uma soprano. Pelo menos entre as várias óperas que conheço.
Ouvi-la assim, na voz divina da Callas, é magnífico, até arrepia...

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

AMOR MAIS QUE DISCRETO


Talvez haja entre nós o mais total interdito
Mas você é bonito o bastante
Complexo o bastante
Bom o bastante
Pra tornar-se ao menos por um instante
O amante do amante
Que antes de te conhecer
Eu não cheguei a ser

Eu sou um velho
Mas somos dois meninos
Nossos destinos são mutuamente interessantes
Um instante, alguns instantes
O grande espelho
E aí a minha vida ia fazer mais sentido
E a sua talvez mais que a minha,
Talvez bem mais que a minha
Os livros, filmes, filhos ganhariam colorido
Se um dia afinal
eu chegasse a ver que você vinha
E isso é tanto que pinta no meu canto
Mas pode dispensar a fantasia
O sonho em branco e preto
Amor mais que discreto
Que é já uma alegria
Até mesmo sem ter o seu passado, seu tempo
O seu antes, seu agora, seu depois
Sem ser remotamente
Sequer imaginado
Por qualquer de nós dois
Caetano Veloso

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

RECORDAR NATÁLIA


I

Glorifiquei-te no eterno.
Eterno dentro de mim
fora de mim perecível.
Para que desses um sentido
a uma sede indefinível.

Para que desses um nome
à exactidão do instante
do fruto que cai na terra
sempre perpendicular
à humidade onde fica.

E o que acontece durante
na rapidez da descida
é a explicação da vida.



II

Harmonioso vulto que em mim se dilui.
Tu és o poema
e és a origem donde ele flui.
Intuito de ter. Intuito de amor
não compreendido.
Fica assim amor. Fica assim intuito.
Prometido.




IX

Pusemos tanto azul nessa distância
ancorada em incerta claridade
e ficamos nas paredes do vento
a escorrer para tudo o que ele invade.

Pusemos tantas flores nas horas breves
que secam folhas nas árvores dos dedos.
E ficámos cingidos nas estátuas
a morder-nos na carne dum segredo.

Natália Correia (13 de Setembro de 1923 - 16 de Março 1993)

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

QUEER LISBOA


O meu coração cinéfilo já palpita. A 11ª edição do Queer Lisboa, ou Festival de Cinema Gay e Lésbico de Lisboa, como era mais conhecido antigamente já aí está.
A sessão de abertura é já na sexta-feira com o filme Alice do brasileiro Chico Teixeira.
Podem consultar toda a programação aqui: Queer Lisboa

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

O ADEUS A UMA GRANDE VOZ



Luciano Pavarotti (1935 - 2007)

Venho com algum atraso mas não podia deixar de prestar o meu tributo a uma das maiores vozes do nosso tempo.
Para muita gente, a ópera era uma coisa chata e elitista. Ao juntar-se às grandes estrelas da pop mundial, o tenor passou a ser também uma espécie de pop-star. Isto fez com que a ópera conseguisse atingir novos públicos. Isto custou-lhe muitas criticas vindas de sectores mais puristas e elitistas. Apesar de tudo nunca deixou de ser o que sempre foi, um grande tenor, para alguns o melhor de sempre.

Para mim a ópera é para ser representada, depois de muito vasculhar pelo YT encontrei esta comovente representação da ária "Vesti La Giubba" de I Pagliacci do compositor italiano Leoncavallo.

RAPTADO!


Meus amigos, fui raptado pelas FARC na Festa do Avante. Podem começar a fazer uma vaquinha para pagar o meu resgate.

Enviem os vossos donativos para o meu NIB:
0024.1269.00123456789.69

terça-feira, 4 de setembro de 2007

O NOVO ELTON JOHN


Eu prometi que não havia mais bichísses mas não resisti. De partida para a Margem Sul, deixo-vos com a mais nova pérola da bimbalhice nacional. Cuidado aos mais sensíveis, eu vomitei sete vezes ao ver isto, meu rico arrozinho de marisco....

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

FAIRPLAY

Este blogue tem andado demasiado "abichanado". Chega de gajos nus, hoje vou falar de coisas de Homem, ou seja futebol.
Não, não vou falar das orgias em casa do Cristiano Ronaldo. Safa, aquelas tipas têm sorte. Uma noite de sexo com os jogadores do Manchester United.... Era um sonho!
.
Bem não divaguemos. Estava eu, ontem, a ver o meu grande Sporting enrascado para ganhar ao Belenenses quando um dos locutores diz qualquer coisa como: "O fairplay é uma treta!" Plenamente de acordo. Quem não concorda são os jogadores do Ajax que levam esta coisa do "fairplay" muito a sério senão vejam: Num jogo entre a equipa de Amesterdão e o Den Haag, um jogador ao tentar devolver uma bola, após um colega ser assistido marca um golo involuntáriamente. O árbitro não tem outro remédio senão validar o golo. No reatamento nehum dos jogadores do Ajax se mexeu até os adversários igualarem.
Assim concordo, o fairplay vale a pena.
Serviu isto tudo para experimentar esta nova função do Blogger para colocar vídeos.
video

MODO DE AMAR-V


Docemente amor
ainda docemente

o tacto é pouco
e curvo sob os lábios

e se um anel no corpo
é saliente
digamos que é da pedra
em que se rasga

Opala enorme
e morna
tão fremente

dália suposta
sob o calor da carne

lábios cedidos
de pétalas dormentes

Louca ametista
com odores de tarde

Avidamente amor
com desespero e calma

as mãos subindo
pela cintura dada
aos dedos puros
numa aridez de praia
que a curvam loucos até ao chão da sala

Ferozmente amor
com torpidez e raiva

as ancas descendo como cabras
tão estreitas e duras
que desarmam
a tepidez das minhas
que se abrem

E logo os ombros
descaem
e os cabelos

desfalecem as coxas que retomam
das tuas
o pecado
e o vencê-lo
em cada movimento em que se domam

Suavemente amor
agora velozmente

os rins suspensos
os pulsos
e as espáduas

o ventre erecto
enquanto vai crescendo
planta viva entre as minhas nádegas

Maria Tereza Horta

Lido na Wind

domingo, 2 de setembro de 2007

PREGUIÇA


«Cansados vão os corpos para casa...»

Olá meus amigos, desculpem mas estou numa de preguiça física e mental. Não me apetece editar nada.
Também não é para menos, foi uma noite inteirnha a dançar sem parar.
Maldita da PDI... Só de pensar que aos vinte anos fazia isto com uma perna às costas. Já não estava habituado e tenho o corpo todo dorido. Mas não se preocupem, que o meu massagista, aqui em cima, já vem a caminho.

Só queria agradecer, por uma noite bem passada, às amigas que me convidaram.
Foto: Daniel Nassoy