sexta-feira, 14 de setembro de 2007

AMOR MAIS QUE DISCRETO


Talvez haja entre nós o mais total interdito
Mas você é bonito o bastante
Complexo o bastante
Bom o bastante
Pra tornar-se ao menos por um instante
O amante do amante
Que antes de te conhecer
Eu não cheguei a ser

Eu sou um velho
Mas somos dois meninos
Nossos destinos são mutuamente interessantes
Um instante, alguns instantes
O grande espelho
E aí a minha vida ia fazer mais sentido
E a sua talvez mais que a minha,
Talvez bem mais que a minha
Os livros, filmes, filhos ganhariam colorido
Se um dia afinal
eu chegasse a ver que você vinha
E isso é tanto que pinta no meu canto
Mas pode dispensar a fantasia
O sonho em branco e preto
Amor mais que discreto
Que é já uma alegria
Até mesmo sem ter o seu passado, seu tempo
O seu antes, seu agora, seu depois
Sem ser remotamente
Sequer imaginado
Por qualquer de nós dois
Caetano Veloso

3 comentários:

pinguim disse...

É incrível como este texto está (por vezes) tão perto da minha realidade.
Não conhecia e por isso te estou muito grato por tê-lo partilhado.
Abraço.

gitas disse...

Caetano é incrível, mete-se na pele de tudo.
Este poema é belo e real e escolheste uma foto linda:))))
beijos

Special K disse...

Pinguim, esta canção é uma das últimas canções do caetano, por isso é natural que ainda não seja muito conehcida. Eu só conheço a letra, ainda não a ouvi. Mas parece que vai ser gravada num disco ao vivo a sair em breve no Brasil. Um abraço.

Gitas, Caetano é sempre incrível.
Beijinhos