segunda-feira, 30 de junho de 2008

REMAX LGBT E JORNAL PÚBICO


Eu que me estou sempre a queixar, que o marketing e as grandes empresas portuguesas descuram a comunidade lgbt, como mercado alvo para os seus produtos, fartei-me de rir e tive que dar a mão à palmatória. Afinal parece quer as coisas estão mesmo a mudar, a um ritmo muito lento mas é melhor que nada.

Se estiverem a pensar em vender ou comprar casa falem com estas senhoras pois os serviços delas parecem ser bastante úteis:

«Apercebemo-nos que, ao contrário de muitos países na Europa e no mundo inteiro, aqui em Portugal ainda não havia quem desenvolvesse no sector imobiliário, um serviço adequado para a comunidade LGBT.… Assim, decidimos colocar “mãos à obra” e unir esforços para que a venda ou compra da vossa casa vá de encontro às vossas reais necessidades e se possa tornar numa experiência única!»

Andreia Melo & Clara Ribeiro


Realmente parece que Portugal está mesmo a perder a vergonha. Outro folheto distribuído no sábado foi este sobre o novo jornal que sai para as bancas já no princípio de Julho.

Confesso que me rebolei a rir com o título do jornal pois as semelhanças com um muito conhecido diário português são por demais evidentes.

Os destaques para o primeiro número são bastante excitantes. Eu por mim estou mortinho por conhecer o "homoerotismo dos machos lusitanos". Não conhecesse já eu outra coisa (cala-te boca que os gajos são casados!)

A partir de Julho, não sejam púdicos, leiam o Púbico

7 comentários:

Paracletus disse...

São infos bastante interessantes. :)

Catatau disse...

De facto, o Púbico promete, quanto mais não seja pelo achado do título. Espero que seja melhor que a Korpus (e não tão cinzento como o conhecido diário a que o título faz "blague").
Sabes o que fazia falta cá? Boas revistas ao género da francesa Tétu, por exemplo, com artigos para variados gostos e tendências.

Quanto à imobiliária, só te posso dizer que o gesto é do mais esperto que há. Para todos os efeitos há um nicho de mercado que pode ser tocado por um tratamento, digamos, hum... sensibilizante, rsrsrsrs.
Por outro lado, há sempre aquele chavão (com o qual não concordo), que exalta o poder de compra homossexual e daí as imobiliárias desejarem ter uma carteira de clientes para determinados produtos. Lisboa e Porto não têm uma Chueca, mas têm um Chiado e uma zona dos Clérigos que podem ser apetecíveis... ;)

sp disse...

(risos) melhor será não comentar e esperar para ver...
um abraço eSpecial!

Special K disse...

Paracletus: São sim senhor.
Um abraço.

catatau: O Púbico espero para ver se vale a pena.
Quanto á imobiliária, claro que é um acto de marketing mas olha que será útil para evitar certos constrangimentos e esclarecer as pessoas a nível de direitos.
Um abraço.

SP: Estás como eu, esperar para ver. É provável que hoje já esteja nas bancas. Vou ter que investigar.
Um abraço púbico :)

pinguim disse...

Não sei se acreitas, mas ao passar os olhos no post, antes de ler, pesei que o Público estava com um grafismo diferente e a dar realce a assuntos Glbt...

Paulo disse...

olha, também fiquei com os mesmos folhetos :)
quanto à remax, parece-me bem e o púbico... espero não ser mais do mesmo porque se for terá os dias contados. se quiser erotismo, busco-o na web, e se for sem qualidade. vamos ver.

Special K disse...

Rsrsr! Só mesmo tu Pinguim. havia de ser bonito.
Um abraço.

Paulo: Ainda não vi o Púbico, mas pela primeira página parece mais do mesmo.
Um abraço.