sábado, 21 de junho de 2008

NATURISMO


«O naturismo é uma forma de vida em harmonia com a natureza, traduzida na práctica da nudez colectiva, no propósito de fornecer o respeito por si mesmo, pelos outros e pelo meio ambiente.»

Federação Portuguesa de naturismo

Pelo que diz a minha mãe, eu quando era bem pequenino só queria era andar sem roupa. Sinceramente não me lembro mas pelas fotos que tenho dos tempos de Angola deve ser bem verdade.
Sei que quando cheguei aos dez anos era um miúdo introvertido que tinha até vergonha de mudar de roupa á frente dos meus colegas nas aulas de ginástica.
Sempre frequentei as praias da zona da Costa da Caparica e passava muitas vezes pela famosa praia 19. Por essa altura ainda era muito jovem e inocente, só muito mais tarde fui percebendo os andamentos estranhos que havia por aquela praia.
Um dia, com a praia quase vazia e num sítio bem escondido, resolvi tirar a roupa. Devia ter os meus 17 anos e apesar de não estar niguém a ver foi a maior sensação de liberdade que eu jamais senti. Com o tempo fui perdendo a timidez e deixei de me esconder.

Hoje em dia sinto-me estranho numa praia têxtil e só as frequento se estiver com amigos. Se estiver sózinho e não houver nenhuma praia naturista por perto prefiro ir para a esplanada à beira-mar beber umas cervejinhas e comer umas boas conquilhas.

ROTEIRO DE PRAIAS NATURISTAS



A ideia para este post começou a germinar a partir de um comentário do Catatau no post sobre o novo vídeo dos Sigur Rós e foi ganhando força com a chegada do calor e com este artigo do Paracletus.

23 comentários:

gitas disse...

Nunca fiz naturismo.
Beijos

Paracletus disse...

É uma filosofia de vida que nem toda a gente compreende, devido ao preconceito e à ignorância.
Como vivemos numa sociedade hipersexualizada, as pessoas tendem associar a nudez ao acto sexual.
Obrigado pela referência.

Special K disse...

Gitas: Eu já fiz e gosto.
Beijos.

Paracletus: O que tu dizes é bem verdade. O naturismo é uma fonte de investimento muito substimada neste país. As praias oficias são poucas, há uma ou duas piscinas e um spa mas com um horários específico para naturistas. o que é mais gritante é a falta de campos de campismo(acho que só há um exclusivo para nudistas) ou aldeamentos para nudistas.
Outra coisa que me mete confusão é o excesso de pudor na maior parte das saunas dos spas e hotéis. Óbviamente que não estou a falar das saunas gay.
Um abraço

Catatau disse...

Eu sou naturista desde os meus quinze anos. Nunca tive problemas em tirar a roupa (se calhar porque faço natação desde os 4 anos e habituei-me à nudez dos balneários).
O que me aborrece é que as pessoas associam muito as praias naturistas a sítios exclusivamente homossexuais. O que, não sendo verdade,também não é totalmente mentira, mas enfim.
Já fui a muitas praias naturistas (toleradas e oficiais) em Portugal e até já estive em dois parques de campismo naturista europeus.
É uma sensação óptima.
Cá pelo norte há a mais conhecida da Aguçadoura (Póvoa de Varzim), mas tb se faz na de Santo André (na Primavera) e durante todo o ano na da Apúlia (Esposende), muito conotada com local de cruising.
Para cima de Esposende, faz-se um pouco por toda a parte, em especial nas praias menos frequentadas. :)

Tongzhi disse...

A minha primeira experiência naturista foi há largos anos, numa praia deserta que hoje é sobejamente conhecida - Meco.
Foi uma sensação fantástica o andar nu na praia e, sobretudo, o tomar banho. O único senão, na altura, foi o de ter protegido pouco as partes do corpo menos habituadas ao sol e ter apanhado um escaldão que me impediu de sentar por alguns dias...
:P

Estrelaminha disse...

boa tarde!
gostei muito da reportagem.
tudo o que está relacionado com preconceitos e tradições anda devagarinho.
bom fim-de-semana!
bjs

The Unfurry Swear Bear disse...

Tenho de admitir que já só faço naturismo, e estranhamente antes de fazer naturismo era hiper complexado, agora perdi todos os complexos, sou gordinho e depois, há quem goste :P
O naturismo fez-me perder os complexos, e fez-me aprender a "namorar" comigo mesmo.

sp disse...

Como sempre o Catatau fala de tudo e muito bem e não deixa os outros serem originais, também.
Gosto de vocês dois!!!
Abraços peludos e continuem com tudo ao léu...

pinguim disse...

Eu faço naturismo quando acho que o posso fazer, mas não vou expressamente a praias naturistas; já fui, quando ia à "19", mas eu não considero a "19" uma praia naturista, é apenas para sexo e exibição...
Abraço.

Angelo disse...

Pois eu tenho muitas saudades. Aqui não é de todo permitido, o que é uma chatice!
Já cheguei a ser o único, num grupo de amigos, a tirar a roupa toda! É tão bom!

Special K disse...

Catatau: Infelizmente nunca fiz natação e sou um péssimo nadador. Basta não sentir nada firme debaixo dos pés para ter um ataque de pânico Rsrsrs.
mas foi mesmo com o naturismo que eu comecei a desenvolver mais e a perder a timidez. pelo menos hoje em dia quanto a tirar roupa já não tenho vergonha nenhuma ;)
Obrigado pelo roteiro naturista nortenho. Um abraço.

Special K disse...

Tongzhi: É uma sensação enorme tomar banho sem roupa. Eu costumo ir para Tavira e é óptimo pois não há ondas e pode-se disfrutar muito melhor a água. No entanto há que ter cuidado com as "partes mais sensíveis" ao sol. Felizmnete nunca apanhei nenhum escladão em áreas mais sensíveis;)
Um abraço.

Special K disse...

EstrelaMinha: Anda devagarinho mas havemos de chegar lá. Nem que seja só daqui a cem anos.
Bjks

Special K disse...

Unfurry: Isso de perder complexos é bem verdade. Gostei da tua expressão "namorar comigo mesmo". Uma das chaves para se ser feliz é gostar de nós próprios.
Um abraço.

Special K disse...

SP: Já senti o mesmo em comentários por outras paragens. Isso é apenas um sinal de que o Catatau quando fala sabe do que fala.
Um abraço sempre com tudo ao léu :D

Special K disse...

Pinguim: por isso é que eu prefiro andar mais um bocadinho e ir para a Fonte da Telha. Há um areal enorme quase sempre sem ninguém e não se vê tanto predador. Mas quando posso mesmo é no areal da Ilha de Tavira que eu gosto de estar.
Um abraço.

Special K disse...

Angelo: E é mesmo bom. Muito obrigado pela visita e pelo comentário. Já tinha visitado uma vez os teus cantinhos, penso que a partir de um link no Felizes juntos.
Um abraço.

Paulo disse...

também passei mais ou menos por essa evolução, com uma diferença: na infância e adolescência aproveitava as andanças pelo mato como pastor para me despir, andar nu, tomar banho no Zêzere nu, molhar-me nas quedas de água. Depois, ganhei vergonha e teve de ser com o Zé a recomeçar a ir ao mar nuzinho da silva. e é excelente, uma sensação de liberdade incrível. e também prefiro não me despir sequer a ter de me banhar com calções.

Special K disse...

Eu também gostava de ir para o mato. Infelizmente sempre tive medo de me banhar no rio Douro.
Um abraço.

Paulo disse...

ah, eu também tinha algum receio de me afogar, mas nunca saía muito da margem e sabia-me a delito delicioso... ó tempos que já lá vão!

Special K disse...

Pois eu era mesmo só molhar os pés, havia muitoas histórias de tragédias e todos diziam que o rio por ali era muito traiçoeiro.
Mas sabia muito bem, por ali os termómetros no verão chegam a passar bem dos 40 graus.
Um abraço.

Paulo disse...

ah, pois, na minha zona também! inverno muito frio e verão quentíssimo. de fugir, mesmo. sei o que é

Special K disse...

Mas digo-te uma coisa, não sei se era por ser criança, mas acho que suportava melhor o frio transmontano que o sintrense. Talvez porque a minha avó me equipava bem contra o frio.