segunda-feira, 2 de junho de 2008

CANÇÃO DE AMOR


Ensinei o meu pénis a dizer
o teu nome. Só ele é capaz

de soletrá-lo de trás para a
frente e da frente para trás

indiferentemente

Só ele fala como falo

Jorge Sousa Braga
"O Poeta Nu"

9 comentários:

pinguim disse...

A grande virtude da versatilidade!!

Catatau disse...

O poema tresanda a vigor e a desejo. Puros. Tal como a figurinha votiva os quer propiciar.

(Special, o Museu Romano-bárbaro de Colónia tem uma sala juncada de lucernas romanas até ao tecto, com a sexualidade mais explícita que a nossa imaginação consegue alcançar. Ias adorar. :) )

gitas disse...

Gargalhadas:)
Beijos

Socrates daSilva disse...

Está tudo dito.
:-)
Abraço

Luís Galego disse...

Fiquei particularmente sensibilizado quando descobri que Jorge Sousa Braga escreveu "Um poema ao filho..."...não fazia ideia que tambem a sua escrita ingressva no mundo falocentrico...mas com piada, diga-se de passagem!!!

Special K disse...

Pinguim: E é mesmo uma grande virtude.
um abraço

Special K disse...

catatau: Como já disee ao SP aprecio muito a irreverência deste autor.
Tenho a certeza que iria mesmo adorar.
Um abraço.

Special K disse...

Gitas e sócrates: Obrigado.
Beijos e abraços.

Special K disse...

Luís galego: No mundo falocêntrico e não só, não fosse ele ginecologista e obstetra.
Um abraço.