sexta-feira, 25 de abril de 2008

LIBERDADE


Naquela manhã de Primavera o povo acordou com um grito:

Era a semente da esperança
feita de força e vontade
era ainda uma criança
mas já era a LIBERDADE.

José Carlos Ary dos Santos



9 comentários:

pinguim disse...

Documento e música históricos.
Abraço.

gitas disse...

Um bom 25 de Abril para ti:)
Beijos

Rato do Campo disse...

Fascismo e colonialismo nunca mais! 25 de Abril sempre!

Inha disse...

Estive a ver as noticias de hoje, o tema principal: a ignorância dos mais "piquenos" sobre o 25 Abril. Por um lado arrepia-me, por outro, que bom eles não terem de saber...
Beijos

Special K disse...

Pinguim, é sempre bom lembrar a história para que certas coisas não se repitam.
Um abraço

Gitas: Obrigado, espero que o teu também tenha sido bom.
Um beijo

Rato do Campo: Nunca mais mesmo!
Um abraço.

Inha, eu acho que é bom eles não terem que passar por aquilo. Agora convém que saibam o que é viver em ditadura. Porque quando as coisas se esquecem, a história repete-se.
Um beijo

socrates dasilva disse...

Um excelente poema, amigo.
Que o tempo nunca dilua a sua mensagem.
Abraço

Special K disse...

Amigo Sócrates, com certeza que não.
Um abraço.

Kokas disse...

A verdadeira Liberdade chegou a 25 de Novembro!

Special K disse...

Meu caro Kokas, permite-me discordar.
A verdadeira liberdade surgiu na manhã de 25 de Abril quando o país se livrou de quase meio século de uma odiosa ditadura que deixou o país isolado e atrasado em relação ao resto da Europa.
O 25 de Novembro não foi mais que o consolidar da democracia ao afastar o fantasma de uma ditadura comunista.
Foi um dia que poderia ter acabado num banho de sangue ou numa guerra civil, felizmente acabou em "paz" e daí nasceu a democracia que temos hoje. É uma "democracia" muito triste, mas ainda assim é uma democracia.
Do ponto de vista histórico, que me interessa mais que o ideológico, haveria muito mais para falar e a caixa de comentários não será portanto o melhor local.
Um abraço