sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

UM HOMEM NUNCA CHORA


Acreditava naquela historia
do homem que nunca chora.

Eu julgava-me um homem.

Na adolescência
meus filmes de aventuras
punham-me muito longe de ser cobarde
na arrogante criancice do herói de ferro.

Agora tremo.
E agora choro.

Como um homem treme.
Como chora um homem!

José João Craveirinha, poeta moçambicano (1922-2003)
Imagem: J.P. Sousa

9 comentários:

Noivo disse...

fantástico!

isabelcru@gmail.com disse...

Gosto desse poeta, é muito sentimental.Este poema é lindo!
Beijos

gitas disse...

Desculpa q confusão, coloquei o mail:((((

Algbiboy disse...

se choram os homens....
Abração
Miguel

Alma Nova disse...

E o homem também chora! Porque o seu coração tem vida e o amor lá mora.

socrates dasilva disse...

Gostava de chorar mais...
As vezes que chorei senti-me outro, mais sincero. Espero ter razões para chorar... de alegria.
abraço

pinguim disse...

É lindo ver um homem chorar...

Kokas disse...

Engraçado, ainda há poucos dias que escrevi sobre isso! Claro que choram. Feliz do homem que chora!

Aquele abraço!

Special K disse...

Noivo:
Obrigado.
Um abraço.

Gitas:
Que confusão.
Bjks

Algbiboy:
Bem-vindo a este meu mundo.
Um abraço

Alma Nova:
Eu próprio não diria melhor.
Bjks

Sócrates da Silva:
Desejo-te muito choro, de alegria claro.
Um abraço.

Pinguim:
É lindo e faz bem à alma.
Um abraço.

Kokas:
Infelizes do que não choram.
Obrigado pela visita, as portas aqui do meu cantinho estão sempre abertas.
Um abraço.