quarta-feira, 6 de agosto de 2008

TU N'AS RIEN VU À HIROSHIMA


Hiroshima Mon Amour
Um livro de Margueritte Duras
Um filme de Alain Resnais

16 comentários:

sp disse...

Como eu gosto da Duras, caro special!!!
Bonita "homenagem".
Um abraço peludo...

gitas disse...

Gostei de ver:)
Beijos

pinguim disse...

Um filme fora de série, um realizador notável e uma escritora única...
Abraço.

g disse...

Porque há coisas que tem que ser lembradas para evitar que se repitam ainda que até ver doa.

Bjs

Arion disse...

Mais uma referência comum... Abraço!

Special K disse...

Meu caro Peludo, também gosto da Duras. No entanto o objectivo desta postagem não é só recordar a sua obra, ou a de Resnais, é essencialmente para recordar os 63 anos do lançamento da bomba de Hiroshima.
Um abraço.

Special K disse...

Gitas: Ainda bem que gostaste de ver. É pena que os humanos não consigam aprender com os seus próprios erros.
Beijos

Special K disse...

Concordo plenamente contigo, Pinguim. Esperemos que não haja mais Hiroshimas.
Um abraço.

Special K disse...

G: Tens toda a razão, mas como disse à Gitas, os humanos não aprendem com os erros: Senão é Hiroshima é Vietname, é Iraque, Palestina, terrorismo etc.
Beijos

Special K disse...

Arion: Obrigado, um grande abraço.

sp disse...

Bem, caro special, eu sei que hoje é o dia H... Eu leio jornais e vejo TV e sei um pouco de história.
Se não destaquei essa data foi apenas porque não quis e por isso falei apenas na M. Duras e como gosto da obra dela.
Apenas isso!
Um abraço!

Paracletus disse...

Gosto muito de M. Duras e já li o Hiroshima mon amour, que é excelente, porém ainda não vi o filme de Resnais.
A humanidade jamais poderá esquecer Hiroshima, pois foi a maior atrocidade de todos os tempos.
O lançamento da bomba atómica foi só uma demonstração de força dos E.U.A. perante a U.R.S.S., que de aliados passaram a inimigos figadais, nem sequer teve objectivos estratégicos, tendo ceifado gratuitamente mais de 150.000 vidas civis inocentes.
Como gostas da música dos anos 80, deixo este este clip de Sandra intitulado Hiroshima, o qual é bastante expressivo:

http://www.youtube.com/watch?v=fS6F42mAcqo


Espero que gostes...

Special K disse...

Meu caro SP, pelo teu blogue, e por certos comentários, já deu para perceber que és uma pessoa atenta e informada, lamento se o meu comentário te deu a impressão errada. A minha única intenção era apenas enfatizar a importância da data.
Quanto à Duras fizeste bem em mencioná-la. Só conheço duas obras e gostei muito; este "Hiroshima" e o Amante, que também deu um belo filme do Jean jacques Annaud.
Um abraço

Special K disse...

Paracletus: Concordo plenamente contigo, aliás o Japão já estava derreotado.
Quanto ao clip da Sandra, hoje cruzei-me várias vezes com ele nas minhas pesquizas.
Um abraço.

sp disse...

caro special: lê por favor Dez Horas e Meia Numa Noite de Verão ou Uma Barragem contra o Pacífico entre muitos outros.

e não te preocupes: "falar" assim por palavras escritas, muitas vezes, leva a confusões... por isso, temos que ter um pouco de humildade para compreender isso, não é?
e eu tenho.
repito: não te preocupes! está tudo bem!!!
:)
um abraço peludo.

Special K disse...

SP: É verdade falar assim por escrita pode levar a mal-entendidos, não me preocupo. Obrigado pelas dicas literárias, tenho cada vez menos tempo para leituras mas vou fazer um esforço.
Abraço peludo.