domingo, 3 de agosto de 2008

BAILE DE OUTONO


«Baile de Outono» é um filme estónio acerca de seis habitantes que vivem em blocos de apartamentos da era soviética, cujas vidas se tocam e que estão unidos por um sentimento de solidão.

O jovem escritor, Mati, espreita pela a janela da casa da sua ex-mulher e, sem sucesso, tenta aproximar-se de outras mulheres.
August Kask é um barbeiro que vive uma vida cinzenta e que se aproxima de uma menina, mas a sua aproximação é erradamente tomada como pedofilia.
A mãe solteira, Laura, vê uma telenovela estúpida na televisão e afasta de si os homens porque não consegue confiar neles.
Maurer, o arquitecto, pensa no bem-estar da humanidade, mas esquece-se da sua própria mulher que, por sua vez, procura consolo em Theo, o empregado do bengaleiro.
As mulheres gostam de Theo, mas devido ao seu baixo estrato social, não o levam a sério.

Gentilmente estilizado e indiferente, o mundo de «Baile de Outono» avança firmemente na direcção do Inverno e não nos dará resposta alguma a estas questões.
O que este mundo pode demonstrar é a possibilidade de riso ainda assim, num local onde a esperança há muito que se tornou num bem escasso.

Site: Sügisball
Podem ver o trailer na barra do lado direito deste blogue.

10 comentários:

Arion disse...

Dully noted! Mais uma vez, obrigado! :) Abraço!

pinguim disse...

Embora a critica que li (Time Out) não seja deslumbrante, é um filme que me parece interessante por dois motivos: é intimista, como eu gosto; e pertence a uma cinematografia completamente desconhecida, visto ser um filme estónio.
Abraço.

gitas disse...

Obrigada pela dica:)
beijos

Paulo disse...

hummm, parece-me interessante. interessante ainda o "too drunk to fuck"! adorei!

jasmimdomeuquintal disse...

Até ia ver. os filmes no cartaz de Verão são tão sem graça.
Bom domingo

Special K disse...

Arion: Não tens nada que agradecer. Um abraço.

Special K disse...

Pinguim: Realmente não será um filme deslumbrante mas é mesmo o melhor do cartaz desta semana. Ainda por cima deve ser a primeira vez que estreia por cá um filme da Estónia.
Um abraço.

Special K disse...

Gitas: também não tens nada que agradecer.
Beijos

Special K disse...

Paulo: O "Too Drunk to Fuck" está só a antecipar o meu próximo post.
Um abraço

Special K disse...

Jasmim: habitualmente são um pouco sem graça. É uma altura em que eles apostam nos blockbusters que são sempre filmes para encher o olho, mas vazios de conteúdo.
Beijos