domingo, 20 de julho de 2008

A MINHA NOITE COM LEONARD COHEN


A tarde começou um pouco agitada. Após sair do trabalho foi uma correria para chegar cedo a Algés e ter tempo de comer qualquer coisita antes do concerto.
O "Special", indeciso, que chega a demorar uma eternidade para escolher um restaurante, entrou logo num dos primeiros que lhe apareceu pela frente. A sala nem estava cheia mas tive logo um mau pressentimento quando comecei a ver pessoas a entrar e sair logo de seguida do restaurante. Para despachar pedi logo uma dose de sardinhas, que eu calculei ser o prato de peixe mais rápido. Entretanto a sala foi enchendo e logo verifiquei que a maioria das pessoas que chegavam também iria ao concerto do Leonard Cohen.

Entretanto o tempo e as cervejas iam passando e nada de sardinhas. Durante uma hora, e com a sala cheia, só um casal que já lá estava antes de mim foi servido com dois bitoques. Quando, após uma hora, o empregado me diz que o prato ainda estava demorado pois tinham duas salas e as pessoas que estavam na outra tinham chegado primeiro. Fiquei furioso, mas como sou demasiado civilizado, paguei o pão e as cervejas e saí a correr para o local do concerto com a barriguinha bem cheia... De cerveja.


Já dentro do recinto foi só tempo de comprar mais uma cervejita para enganar a fome e chegar-me à frente. Para minha grande surpresa o concerto começou exactamente à hora marcada.
apesar de saber que ele já ia nos 73 anos, a primeira coisa em que reparei quando Cohen entrou ao som de "Dance me to the End of Love" foi como ele estava velho. Mas não tardei a constactar que a velhice estava apenas no aspecto exterior. Por dentro o músico canadiano continua um jovem e isso nota-se logo nos sorrisos de agradecimento aos muitos aplausos vindos do público.



Sem grandes ecrãs ou espectaculares efeitos de luzes deu logo para entender que o que ali se celebrava era a voz, a música e a poesia do velho trovador canadiano. O concerto foi um desfilar dos maiores clássicos de Cohen com "Hallelujah" e "Suzanne" como os dois momentos mágicos da noite. Mágico também foi "Boogie Street" um doce dueto com Sharon Robinson, uma das três vocalistas do coro de Cohen e "I'm Your Man" cantado em coro pela assistência.

Foi mesmo uma noite memorável. Leonard Cohen was my man!

No encontro de gigantes marcado para ontem apenas houve vencedores. Pelas crónicas que já li parece que o "Berlin" ao vivo do Lou Reed também foi memorável.

Imagens: Blitz

17 comentários:

Luis disse...

Diz-se que a natureza fez com que nos deixássemos enternecer pelas particularidades "mimosas" dos bebés e dos velhinhos... Não sei, mas talvez seja verdade e Leonard Cohen merece ainda mais respeito e admiração olhando para a sua beleza actual. Tal como William Burroughs, que foi durante muito tempo um dos meus velhinhos preferidos. Longa vida para ele! E para nós... ;-)

Catatau disse...

Provavelmente Cohen não tem tempo nem idade... :)

nasgavetas disse...

Trata-se de uma voz deliciosa que traduz emoções, pelo alimento da alma que é a música.

1 abraço para ti,
Lost

gitas disse...

Ainda bem que foi assim:)
Beijos

Socrates daSilva disse...

Que boa descrição. Como já disse, "petisquei" um pouco na pequena reportagem que a RTP1 deu no domingo de manhã. Tive pena porque acho que deve ser a última vez que ele deve vir a Portugal.
Abraço

Ophiuchus disse...

Ainda bem que vem e canta e toca - é o que mantém o músico vivo! E que deixa gravada sua obra! I'm his man, too!

Abraço

Special K disse...

Luís: Eu gosto de ver pessoas chegar a esta idade com energia. Fico sempre a pensar que se ele conseguiu eu também lá chegarei.
Ai o Burroughs, já pensei várias vezes em fazer posts sobre ele. Lembro-me do choque que foi ler "Naked lunch" que tinha o infeliz título português de "Alucinações de um drogado".
Um abraço.

Catatau: Não tem mesmo.
Um abraço.

Nas gavetas: Eu próprio não conseguiria dizer melhor.
Um abraço.

Gitas: Um beijo.

Sócrates: Ele não fazia digressões há cerca de 15 anos. Para nossa sorte parece que foi enganado por um manager e estava a precisar de dinheiro. Não foi por isso que ele deixou de dar o litro.
Um abraço.

Special K disse...

Ophiuchus: São homens como ele que cultivam o meu grande amor pela música.
Um abraço.

g disse...

Vi-o em Cascais há uns bons anitos, mas foi um espectáculo inesquecível para mim. (e só eu sei porquê, a outra pessoa da história disse-me há tempos, que não foi ao concerto...)

Smile disse...

É sem dúvida alguma um grande senhor com uma voz poderosa.
Bjs

BrokenAngel disse...

Queria tanto ter ido...

jasmimdomeuquintal disse...

Ah! como adorei este concerto..
Como adoro esta música. E sim ele é o meu homem, em termos musicais, claro!
bjocas

Algbiboy disse...

O que interessa, mesmo com o contratempo da barriga vazia, é que o concerto foi excelente e valeu a pena de recordar sentimentos que perduraram após cada momento em que se ouvia os sons deste grande senhor...
Abração grande
Miguel

pinguim disse...

Foi decerto o adeus a Portugal deste grande Senhor da música e do espectáculo; apesar da sua idade, visivel nas fotos, mantem um tom de voz inalterado e sabe estar em palco, com a simpatia de sempre.
Tenho mesmo muita pena de não ter assistido.
E, pelo episódio das sardinhas, foi mesmo aqui, em Portugal...
Abraço.

Special K disse...

G: Creio que foi estes foram os dois únicos concertos que ele deu por cá. Se não me engano ainda foi nos anos 80.
Bjs

Smile: Apesar da diade a voz continua poderosa.
Bjs

Broken Angel: Foi pena pois valeu a pena.
Obrigado pela visita.
Bjs

Jasmim: Se calhar cruzámo-nos por lá. Foi mesmo lindo.
Beijos

Algbiboy: Foi mesmo bom mas custou ficar em jejeum desde a hora do almoço. Não p´ropriamente em jejum pois a cerveja também enche a barriga :)
Foi mesmo um grande concerto.
Um abraço.

Pinguim: Foi mesmo em Portugal. A sorte é que eu sou demasiado calmo. Outro se calhar faria um escândalo. Eu fui o primeiro a sair mas havia lá mais gente à espera que também deve ter feito o mesmo. Senão o fizeram perderam uma parte do concerto.
O Cohen de certeza que já não o volto a ver ao vivo. A não ser que seja como os Stones que todos os anos anunciam a sua última digressão.
Um abraço.

Antunes Ferreira disse...

LISBOA - PORTUGAL

Olá!

Cheguei a este blogue através de outros que costumo visitar e neles postar comentários. Cheguei, vi e… gostei. Está bem feito, está comunicativo, está agradável, está bonito – e está bem escrito. Esta é uma deformação profissional de um jornalista e dizem que escritor a caminho dos 67…, mas que continua bem-disposto, alegre, piadista, gozão, e – vivo.

Só uma anotaçãozinha: Durante 16 anos trabalhei no Diário de Notícias, o mais importante de Portugal, onde cheguei a Chefe da Redacção – sem motivo justificativo… pelo menos que eu desse com isso… E acabo de publicar – vejam lá para o que me deu a «provecta» idade… - o me(a)u primeiro livro de ficção «Morte na Picada», contos da guerra colonial em Angola (1966/68) em que bem contra vontade, infelizmente participei como oficial miliciano.

Muito prazer me darás se quiseres visitar o meu blogue e nele deixar comentários. E enviar-me colaboração. Basta um imeile / imilio (criações minhas e preciosas…) e já está. E se o quiseres divulgar a Amiga(o)s, ainda melhor. Tanto o blogue, como o imeile, tá? Muito obrigado

www.travessadoferreira.blogspot.com
ferreihenrique@gmail.com

Estou a implementar e desenvolver o projecto que tenho para o meu www.travessadoferreira.blogspot.com e que é conferir ao meu/vosso/NOSSO blogue a característica de PONTO DE ENCONTRO entre os Países fraternalmente ligados – Portugal e Brasil. No que estou, pela minha parte, a desenvolver todas as diligências que, naturalmente, me forem possíveis.
E, naturalmente também, para poder enviar-te «coisas» que ache interessantes. Se, porém, não as quiseres, diz-me que eu paro logo. Sou muito bem-mandado (a minha mulher que o diga…) e muito obediente (cf. parênteses anterior).
Já solicitei a colaboração da Embaixada de Portugal em Brasília, que tem à frente dela um diplomata fora de série, o meu querido Amigo, Dr. Francisco Seixas da Costa e na qual se integram mis dois bons Amigos de longos nos: o Adriano Jordão e o Carlos Fino. Seixas da Costa criou um blogue magnífico Embaixada de Portugal no Brasil, www.embaixada-portugal-brasil.blogspot.com, que vos recomendo vivamente visitar. Tem tudo sobre as relações entre as duas Nações. E já fiz o mesmo aqui em Lisboa. Espero receber resposta da Embaixada brasileira.
Este é um desejo que já ultrapassa a simples intenção. Felizmente, neste momento possui muitos comparticipantes – como desejo que seja o teu caso. Mas, com o empenhamento, a ajuda, o entusiasmo e a alegria que tenho encontrado – iremos longe. A internet (apesar dos aspectos negativos que ainda apresenta) tem uma força incomensurável e desenvolvimento tecnológico que se actualiza dia a dia.
Abrações e queijinhos, convenientemente repartidos e distribuídos

PS 1 – Quando navegarmos em velocidade de cruzeiro, quero alargar o Travessa aos outros PALOP. Que achas?
PS 2 – Desculpa por este comentário ser tão comprido e chato. Como a espada do D. Afonso Henriques…
+++++++++
Quanto ao Cohen - estou inteiramente de acordo: é um Senhor. Será, talvez, a sua última actuação em Portugal. E eu não fui. Comodismo. Preguiça. Sofá. Secretária. Quem foi - veio deliciado.

Special K disse...

Antunes Ferreira: Obrigado pela visita tentarei retribuir assim que puder.
Um abraço.