terça-feira, 14 de agosto de 2007

CAROLINA


Carolina
Nos seus olhos fundos
Guarda tanta dor
A dor de todo esse mundo
Eu já lhe expliquei que não vai dar
Seu pranto não vai nada mudar
Eu já convidei para dançar
É hora, já sei, de aproveitar
Lá fora, amor
Uma rosa nasceu
Todo mundo sambou
Uma estrela caiu
Eu bem que mostrei sorrindo
Pela janela, ói que lindo
Mas Carolina não viu

Carolina
Nos seus olhos tristes
Guarda tanto amor
O amor que já não existe
Eu bem que avisei, vai acabar
De tudo lhe dei para aceitar
Mil versos cantei pra lhe agradar
Agora não sei como explicar
Lá fora, amor
Uma rosa morreu
Uma festa acabou
Nosso barco partiu
Eu bem que mostrei a ela
O tempo passou na janela
Só Carolina não viu

Caetano Veloso

10 comentários:

gitas disse...

Lindo, ou não seja de Caetano:)
Muitas vezes as coisas passam por nós e não as vemos e depois é tarde...
Beijos

RIC disse...

É... O mais triste é não conseguirmos ver o que está mesmo à frente dos nossos olhos... Como se bastasse ir a uma janela para ver...

lua ( disse...

Nem imaginas as saudades que estas musicas me trazem!!!!
...esta veio avivar-me as memórias do fundo do baú... enfim,coisas de quem sente...

Special K disse...

Olá Gitas, o que disseste quase podia ser a história da minha vida. O que vale é que às vezes ainda abrimos os olhos a tempo.
Beijinho.

Special K disse...

Ricardo, o problema é que muitas vezes só conseguimos ver aquilo que queremos e ficamos completamente cegos para o que vem atrás. Curiosa raça esta dos humanos.
Um abraço

Special K disse...

Olá Lua(
Desculpa se esta música te deixou melancólica, mas a boa música não é só para se ouvir, é acima de tudo, para se sentir.
Beijinho

gitas disse...

Pois Special K também não disse por acaso...:)
beijos

pinguim disse...

Uma canção com letra triste não deixa de ser uma bela canção.
Haverá alguma canção de Caetano de que eu não goste? Duvido...
Abraço.

F. Grijó disse...

Opa, opa.
A música é do Chico Buarque...

Abraço.

Special K disse...

F.Grijó: Sim a música é do Chico, mas a versão que aqui passou na altura em audição era a do Caetano.
Um abraço