domingo, 7 de outubro de 2007

A MORTE DE JACINTO

A Morte de Jacinto, 1801
Jean Broc (1771-1850)

"A Morte de Jacinto", este belo quadro representa um dos meus episódios preferidos da mitologia grega, os amores de Apolo e Jacinto:

Jacinto era um jovem mortal que, pela sua juventude e rara beleza, cedo despertou a paixão dos deuses.
Zéfiro, o deus do Vento Oeste, apaixonou-se perdidamente pelo rapaz. Porém o jovem Jacinto prefiriu corresponder às atenções do belo Apolo.
Um dia Zéfiro encontra Jacinto e Apolo em grande diversão praticando o lançamento do disco. Louco de ciúmes, Zéfiro faz soprar o seu vento no preciso momento em que Apolo lança o disco este muda de rumo embatendo violentamente na cabeça de Jacinto.
Apolo corre em seu socorro mas nem todo os seus poderes são suficientes para salvar o pobre rapaz que morre nos seus braços.
Louco pela dor, Apolo faz crescer no chão onde havia caído o sangue do jovem uma bela flor a que dá o nome de jacinto.
Assim todas as primaveras nasce esta flor que simboliza o amor efémero e trágico de Apolo por Jacinto.

5 comentários:

RIC disse...

Bela evocação da nossa tradição mitológica (tão injustamente esquecida...)!
Obrigado!
Um abraço! :-)

Paulo disse...

Ainda bem que recordas o episódio de Jacinto. Este quadro é de uma beleza enorme (e de um homoerotismo...).

gitas disse...

Tamb�m gosto muito de mitologia a qual est� cheia como a tela de homossexualidade.
Depois da meia noite tens l� uma coisa para ti:)
beijos

sniqper © disse...

Um belo quadro pintado pelas palavras...
Quem ama, com verdade, na Vida e na Morte, irá encontrar sempre forma de estar junto de quem dele faz parte...

pinguim disse...

Lindo o quadro, bela a história.
Obrigado pela partilha.
Abraço.