terça-feira, 21 de julho de 2009

THE BOAT THAT ROCKED



"OS GOVERNOS ODEIAM QUE AS PESSOAS SEJAM LIVRES"

Nos anos 50 e 60 o rock em Inglaterra era considerado como algo de totalmente subversivo para a juventude. Este tipo de música era mesmo considerado uma ameaça aos valores morais da sociedade e da família (onde é que eu já ouvi isto?).

É neste contexto que no início da década de sessenta o rock é quase banido das rádios oficiais, apenas as rádios piratas se atreviam a divulgar este género musical sendo bastante populares entre os jovens. A Radio Caroline foi uma das mais populares; esta estação estava instalada num barco e emitiu entre 1964 e 1967 para todo o território britânico a partir do Mar do Norte.

Com a desculpa que a emissão poderia interferir com os sinais de emergência de outros barcos, o Partido Trabalhista então no poder iniciou uma guerra cerrada contra a estação.

Foi a saga da Radio Caroline que inspirou The Boat that Rocked de Richard Curtis. O filme acompanha a vida da Radio Rock, uma estação de rádio ilegal que emite a partir de um barco. O grupo de DJs de serviço é bastante peculiar: O "Conde" (Philip Seymour Hoffman)é o americano considerado o deus das ondas da rádio; Quentin(Bill Nighy) o "big boss", e Gavin (Rhys Ifans), o mais popular DJ de Inglaterra, regressado de um périplo de sexo drogas e rock n'roll por terras do Tio Sam.

O filme estreia já na próxima quinta-feira e parece valer mesmo a pena, nem que seja apenas pela banda sonora.

4 comentários:

pinguim disse...

Lembro-me perfeitamente dessa "guerra"...

wind disse...

Obrigada pela sugestão:)
Beijos

rmdebem disse...

Gostei bastante do seu blog. Engraçado é que o encontrei quando procurava por vulvas... Agora serei assíduo. Teclo de Porto Alegre, RS, Brasil

Marta disse...

Olá Special K.

Talvez já tenha ouvido falar dos inovadores serviços de Print On Demand e auto-publicação (self-publishing) que estão a democratizar a edição de livros um pouco por todo o mundo, uma consequência natural da forma como nos habituamos a fazer nós mesmos, o célebre DIY, da internet 2.0.

Não o incomodamos mais com palavrões, visite-nos em www.bubok.pt e experimente os nossos serviços e ferramentas para publicar gratuitamente as suas ideias e ler os autores que já estão a publicar connosco. Romances, fotografias, receitas de culinária, monografias, diários de viagem, conselhos, catálogos, etc, tudo pode ser publicado na Bubok.

Se gostou da Bubok.Pt e pretende ajudar-nos a divulgar este projecto a todos os autores que queiram publicar os seus conteúdos, pedimos-lhe que inclua um link para o nosso blog na sua lista de links: http://www.bubok.pt/blog/

Se precisar de algum esclarecimento, não hesite em contactar-me: marta.furtado@bubok.com.